CONVITE

21/08/2014


A Universidade Federal do Maranhão e a Secretaria de Estado da Educação têm a honra de convidar Vossa Senhoria para a solenidade de abertura do I Seminário Estadual do Pacto Nacional de Fortalecimento do Ensino Médio no Estado do Maranhão, que acontecerá no dia 26 de agosto de 2014, às 08h30min, no Auditório Central da Universidade.

Ciência sem Fronteiras tem inscrições abertas para 21 países

O Programa Ciência sem Fronteiras está com inscrições abertas para graduação-sanduíche. Segundo a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), os candidatos podem escolher entre 21 países: Alemanha, Austrália, Áustria, Bélgica, Canadá, China, Coréia do Sul, Espanha, Estados Unidos, Finlândia, França, Holanda, Hungria, Irlanda, Itália, Japão, Noruega, Nova Zelândia, Polônia, Reino Unido e Suécia.

As inscrições podem ser feitas até 30 de setembro, na página do programa na internet. Para concorrer é preciso ter nota global no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) igual ou superior a 600 pontos, em exames feitos a partir de 2009, apresentar teste de proficiência no idioma aceito pela instituição de destino e ter concluído no mínimo 20% e no máximo 90% do currículo previsto para o curso no momento do início previsto da viagem de estudos.

Além disso, é necessária a homologação da inscrição pela instituição de educação superior de origem. O candidato precisa estar cursando uma das áreas contempladas pelo programa: ciências exatas, matemática, química e biologia, engenharias, áreas tecnológicas e da saúde.

Os estudantes selecionados recebem uma mensalidade na moeda local, auxílio-instalação, seguro-saúde, auxílio-deslocamento para aquisição de passagens aéreas e auxílio-material didático para compra de computadores portáteis ou tablets.

Lançado em 2011, o programa tem como meta a concessão de 101 mil bolsas. Até junho, foram concedidas 83 mil bolsas em todas as modalidades.

Fonte: Agência Brasil

Estudantes com boa média em provas do Enem e professores concorrem a vagas remanescentes

20/08/2014

Estudantes que tenham feito o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) a partir da edição de 2010 e professores efetivos das redes públicas da educação básica podem concorrer a vagas remanescentes, edição do segundo semestre de 2014, do Programa Universidade para Todos (ProUni). As inscrições, gratuitas, devem ser feitas pela internet na página do programa.

Para concorrer, o estudante deve ter obtido, no mínimo, 450 pontos no Enem e nota que não seja zero na redação. Professor do quadro permanente de rede pública da educação básica, sem diploma de curso superior, que deseja fazer cursos de licenciatura com bolsa do ProUni está dispensado da participação no Enem e de comprovar renda.

Com os números do CPF e a data de nascimento, estudante ou professor faz a inscrição on-line na página do ProUni. O próprio sistema recupera a nota do Enem, no caso do estudante. Já o professor precisa informar a condição de efetivo exercício do magistério público.

No sistema, o estudante candidato à vaga deve preencher o cadastro socioeconômico, informar itens como cor, raça, se estudou em escola pública, a renda bruta familiar. Para bolsa integral, a renda bruta familiar por pessoa é de até 1,5 salário mínimo; para bolsa parcial, de até três salários mínimos por pessoa da família. No cadastro socioeconômico, o professor não precisa informar a renda.

Concluída a inscrição, o candidato tem dois dias úteis para ir à instituição de ensino superior, apresentar os documentos pessoais por ela exigidos e comprovar os dados socioeconômicos. Se os documentos atenderem às exigências, o aluno faz a matrícula. Se não efetuar a matrícula nesse prazo, a vaga retorna ao sistema para ser ocupada por outro candidato. É importante ressaltar que a ocupação da vaga é por ordem de inscrição, sem concorrência.

Regras – O estudante ainda não matriculado em instituição de educação superior tem até 7 de setembro para fazer a inscrição. Se conseguir a bolsa remanescente do ProUni nessa etapa do processo, pode iniciar o curso ainda neste semestre. Aquele que está matriculado tem até 1º de dezembro para se inscrever. O estudante matriculado que for aprovado no ProUni passa a ter a mensalidade do curso coberta pela bolsa de estudos.

Na página do ProUni, o candidato pode conferir o calendário e as exigências, tirar dúvidas e fazer a inscrição.

Fonte: MEC

Ministro define o PNE como uma agenda de oportunidades

19/08/2014

O Plano Nacional de Educação (PNE), que reúne as metas e estratégias para a educação nos próximos dez anos, é considerado uma oportunidade para o país, ao promover o planejamento integrado entre União, estados e municípios. “É uma agenda de oportunidades, porque trata de acesso, de inclusão”, afirmou o ministro da Educação, Henrique Paim, na manhã desta terça-feira, 19, na cerimônia de abertura do fórum Estadão Brasil Competitivo, no auditório do Grupo Estado, em São Paulo.

Em sua palestra, Educação e o Mundo do Trabalho: a Ponte que o Brasil Precisa Construir, Paim destacou que há desafios a serem enfrentados para a implementação do PNE. Entre eles, a elaboração de planos estaduais e municipais, em consonância com o plano nacional. Para tanto, serão pactuadas com cada unidade da Federação as metas a serem atingidas.

O ministro lembrou que o desenvolvimento da educação básica passa pela base nacional comum, que envolve direitos e objetivos de aprendizagem e desenvolvimento, assim como pela valorização dos professores. “O currículo nacional único será a base para a formação de professores, carreira e salário”, disse.

Ao lado da educação infantil e da educação básica, Henrique Paim ressaltou a importância da educação profissional. “O aluno do ensino médio precisa ter oportunidades de formação para o trabalho, como as oferecidas pelo Pronatec”, afirmou.

Fonte: MEC

Seduc participa de pesquisa do MEC sobre o uso de tecnologias na educação

Secretário Danilo Furtado com a consultora Ann Berger Valente,
Leuzinete Pereira (adjunta da Seduc) e Akemi Wada
(supervisora da Seduc). (Fotos/Orcenil Jr.)
O secretário de Estado da Educação, Danilo Furtado, recebeu, nesta terça-feira (19), a consultora educacional Ann Berger Valente. O encontro teve como objetivo apresentar a pesquisa realizada pelo Ministério da Educação (MEC) e financiada pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) sobre o uso de tecnologias na educação por secretarias estaduais e municipais.

Participaram do encontro, a secretária adjunta de Ensino da Seduc, Leuzinete Pereira, e a supervisora de Tecnologias Educacionais do órgão, Akemi Wada.

Ann Berger explicou que a pesquisa se constitui em um levantamento nacional das atuais políticas de tecnologia educacional entre os secretários estaduais e municipais da educação, no âmbito do Ministério de Educação para o Programa Um Computador Por Aluno (PROUCA).

Outro objetivo, segundo a pesquisadora, é identificar dificuldades enfrentadas por secretarias estaduais e municipais na efetivação de programas e projetos que utilizem as Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC’s), possibilitando assim, ao MEC, o desenvolvimento de políticas públicas nacionais para apoio e resolução das demandas identificadas como mais latentes no atual modelo do programa.

Na ocasião, o secretário Danilo Furtado apresentou as ações já desenvolvidas pela Seduc, com destaque aos projetos em fase de implantação, relacionados ao uso de mediação tecnológica no ambiente educacional. “O Maranhão compreende o uso das tecnologias digitais e a mediação tecnológica como ferramentas fundamentais para o encurtamento de distâncias e melhoria do aprendizado,” ressaltou.

A supervisora de Tecnologias Educacionais, Akemi Wada, explicou que a Seduc vem aperfeiçoando a utilização das novas tecnologias em sala de aula. “Em parceria com o MEC, estamos realizando a entrega de tablets a todos os professores de ensino médio, tendo o cuidado de capacitá-los para o uso que incentive o docente a explorar as potencialidades da ferramenta no processo ensino-aprendizagem”, destacou.

Após o Maranhão, a pesquisadora dará prosseguimento ao trabalho visitando o estado do Piauí. Ela recolherá dados de todas as secretarias estaduais, além dos núcleos de tecnologia educacional de cada estado, por meio de formulários on-line. Os resultados servirão de suporte às novas ações do MEC nas áreas de tecnologia educacional.

Ao final do encontro, Danilo Furtado parabenizou a iniciativa da pesquisa, destacando sua relevância na busca por entendimento do novo contexto das tecnologias e sua utilização no processo educacional.

Escolas estaduais apresentam projetos na II Feira de Estágio e Emprego do Maranhão

Secretário Danilo Furtado e a coordenadora Geovana
 Pontes com alunos da escola Bacelar Portela  (Fotos/Orcenil Jr.)
Alunos do ensino médio integrado à educação profissional das escolas estaduais João Bacelar Portela e Gonçalves Dias, ambas localizadas em São Luís, estão apresentando, durante a II Feira de Estágio e Emprego do Maranhão, que acontece no Centro de Convenções Pedro Neiva de Santana, projetos inovadores, desenvolvidos em atividades práticas de sala de aula. 

Em um estante montado pela Secretaria de Estado de Educação (Seduc) na feira, estudantes do curso técnico em eletromecânica do CE João Bacelar Portela apresentam a criação de um robô que serve para realizar resgates – o robô resgate. A engenharia foi criada pelos próprios alunos e apresentada ano passado na Olimpíada Brasileira de Robótica.

“Ao participar desse evento temos oportunidade de mostrar mais uma vez nossa criação. Isso demonstra que no Maranhão podemos investir em robótica. O mais importante é que cada aluno, mesmo sendo de escola pública, acreditou em seu potencial”, declarou Gleiciane Santos, do 3º ano do ensino médio, ao apresentar o projeto no estande da Seduc. 

Os alunos do curso técnico de enfermagem do Centro de Ensino Gonçalves Dias também participam da feira aplicando os conhecimentos teóricos de sala de aula. Eles estão oferecendo ao público da feira aferição de pressão arterial, aplicação de insulina, dentre outros serviços na área da enfermagem.

Ao participar da abertura do evento, o secretário de Estado de Educação, Danilo Furtado, destacou a importância das parcerias para a inserção do jovem no mercado de trabalho. “A quantidade e qualidade dos parceiros envolvidos na Feira de Estágio e Emprego é fundamental para que a política educacional de inserção do jovem no mercado de trabalho se estabeleça com êxito no Maranhão”, ressaltou. 

Ele também destacou os planos Nacional e Estadual de Educação, aprovados recentemente, e que estabelecem metas e recursos, no caso do Plano Nacional, que irão possibilitar a ampliação do acesso e da oferta de uma educação de qualidade. 

A coordenadora do ensino médio integrado à educação profissional, Giovanna Bacelar Pontes, explicou que o Maranhão trabalha no sentido de investir na formação profissional e qualificação dos jovens a fim de prepara-los para o mercado de trabalho.

Através do Programa Maranhão Profissional, 394 escolas em 76 municípios foram beneficiadas com cursos técnicos e de formações inicial e continuada. A oferta dos cursos está baseada nos eixos: controle e processos industriais, desenvolvimento educacional e social e informação e comunicação. Atualmente, os cursos integrados oferecidos são de técnico em edificações; eletromecânica; eletrônica; mecânica e enfermagem.

Com inscrições abertas até 20 de agosto, Sisutec é boa opção para cursos de informática

13/08/2014

O Sistema de Seleção Unificada da Educação Profissional e Tecnológica (Sisutec) oferece diversas vagas gratuitas de formação profissional em informática. São cursos técnicos nessa área, rede de computadores, manutenção e suporte, além de programação de jogos digitais. As inscrições podem ser feitas até 20 de agosto.

As vagas estão disponíveis em cursos e escolas espalhados nas cinco regiões do país. A inscrição e os cursos são gratuitos em todas as escolas que participam do Sisutec.

O curso de técnico em informática capacita o aluno para desenvolver programas de computador, seguindo as especificações e paradigmas da lógica de programação e das linguagens de programação. A área de atuação dos técnicos em informática abrange sistemas computacionais e de programação de computadores.

O curso de técnico de informática para internet forma profissionais capacitados a utilizar ferramentas de desenvolvimento de sistemas, criar soluções que auxiliam o processo de criação de interfaces e aplicativos empregados no comércio e marketing eletrônicos. Já o curso de técnico em rede de computadores capacita o estudante a montar e operar uma rede de computadores, além de diagnosticar e corrigir falhas em redes, manter cabeamentos e configurar acessos de usuários, além de implementar recursos de segurança em redes.

O aumento do número de aparelhos celulares multifuncionais desperta interesse no curso de técnico em programação de jogos digitais, que oferece formação para a construção de jogos. O estudante aprenderá a utilizar técnicas e programas especializados de tratamento de imagens e sons; desenvolver recursos, ambientes, objetos e modelos para serem utilizados nos jogos digitais; e criar recursos que possibilitem a interatividade dos jogadores com os programas de computador.

Sisutec – Nesta etapa, para participar basta ter o certificado do ensino médio, e não é necessário ter feito o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Cada vaga é ocupada por ordem de inscrição; depois de inscrito, o aluno tem dois dias para fazer a matrícula na escola onde vai fazer o curso técnico; o candidato que não fizer a matrícula perde a vaga. Esta vaga retorna para o sistema.

Portanto, o estudante que pretende fazer um curso técnico deve se manter atento e consultar o sistema durante todo o processo de seleção. O candidato deve lembrar que a vaga é garantida com a matrícula. Se não fizer a matrícula, a vaga volta ao sistema, para ser ocupada por outro estudante. Abra a página do Sisutec e verifique. Tem vaga? O curso interessa? Faça sua inscrição.

Catálogo – Para orientar os estudantes sobre os cursos técnicos – os conteúdos que serão estudados, o tempo de duração (de 800 horas a 1,2 mil horas), estágio, campo de trabalho, entre outras informações – o MEC criou o Catálogo Nacional de Cursos Técnicos. Abra o catálogo e conheça o curso antes de fazer a inscrição. As inscrições devem ser feitas na página do Sisutec na internet.

Fonte: MEC